Páginas

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Nuvens de Mim

Fonte: static.batanga.com.br

Poema de Rogério Fernandes Lemes

Quando criança
Adorava ver o céu.
Imaginava que algo gostoso
E inexplicável, para mim,
Tinha o gosto das nuvens.
Quando elas passavam
Queria eu estar entre elas;
Queria eu voar entre as nuvens
E fartar-me de um bom bocado.
Queria eu, em verdade,
Mergulhar em mim mesmo.
Não faço dieta de nuvens.
Sou sedentário e obeso delas.
Sou um apanhador das delícias
Que flutuam no meu céu.
Me vejo um pouco nuvem;
Mudo, às vezes, de pensamento,
E sou levado por ventos poéticos;
Ideologias de nuvens carregadas.
Na minha infância ouvia uma canção:
“Nuvens passageiras”...
Construí meu mundo de nuvens.
Não foi difícil.
Sou nuvem passageira
Habitando meu mundo das nuvens.
Sou inverno de paixão
Saboreando o gosto que elas têm:
Gosto de infância.

Um comentário:

  1. Um dia ainda escreverei assim... quando eu crescer...
    poeticamente falando.

    ResponderExcluir