Páginas

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Bazófias de um cantador pai dégua o maior cordel do mundo

Beto Brito
Rabequeiro, cordelista, cantor e compositor brasileiro
João Pessoa, PB, Brasil
@: betobritobb@terra.com.br

Mangaio, feira e artista
O céu bonito e azul
Cantiga de grilo e peru
Violeiro repentista
Calça e camisa de lista
Um tirador de reisado
Um sanfoneiro arretado
Um moleque vendedor
Açude com sangrador
Um velho todo enxerido
Eita Nordeste querido
Nordeste dos meus amor

Um be-a-bá soletrado
Um pé de mandacaru
Torresmo, cana e umbu
Currulepo pro roçado
Cavalo e boi amarrado
Cumbuca e pé de coentro
A mãe chamando pra dentro
A menina que chorou
Passarim que se assustou
Por causa dum estampido
Eita Nordeste querido
Nordeste dos meus amor

Um cego pedindo esmola
Histórias de Lampião
Conversa em pé de balcão
Gonzaga na radiola
Tareco e pão, mariola
Sassarico de galinha
Parede-meia, vizinha
Riachinho que secou
O vestido que voou
Num redemunho atrevido
Eita Nordeste querido
Nordeste dos meus amor

As estradinhas de barro
Fumaça na chaminé
O tô fraco do guiné
Papel de enrolar cigarro
Buchuda, corda e carro
O azuzim das montanhas
O cheirinho das castanhas
Lorotas de caçador
Matuto assobiador
Um besta e oito sabido
Eita Nordeste querido
Nordeste dos meus amor

Água dormida de pote
A pedra de amolar
Caçarola e alguidar
Um aconchego no xote
Cheiro no pé do cangote
Um chamego nas menina
Corriola na esquina
Catavento girador
Dois vestidos furta-cor
Um curto e outro comprido
Eita Nordeste querido
Nordeste dos meus amor

Mulher bonita tem dono!
Santana já me dizia
Viola na cantoria
Cachorro no abandono
Um gatim morto de sono
No balcão de uma bodega
Seresta, forró e brega
Fuzarca de opositor
Um bebo declamador
Lembrando um verso esquecido
Eita Nordeste querido
Nordeste dos meus amor

Um braseiro de abano
Carne seca pendurada
No inverno a passarada
Um cantador soberano
Um jogador veterano
Viciado na sinuca
Galho de espantar mutuca
Burrinha, bode e trator
Mandioca e ralador
Um panelão de cozido
Eita Nordeste Querido
Nordeste dos meus amor

Vaqueiro jogando laço
Chocalho, bezerro manso
Rio cheio com remanso
Tardezinha no terraço
Caldo de cana, melaço
Querosene no bornal
Novena, pelo-sinal
Reza pra Nosso Senhor
Rede armada e cobertor
O meu lugar preferido
Eita Nordeste Querido
Nordeste dos meus amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário