Páginas

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Ecossistemas Urbanos: sustentabilidade socioambiental

Maria Cleonide Santos
Nossa Senhora do Socorro, SE, Brasil
@: professoramariadomutirao@gmail.com

Após observações no meio ambiente estudado e muita leitura sobre o assunto, foi identificado impacto dessas ações do homem sobre o manguezal do Rio do Sal, que margeia o Conjunto João Alves Filho, situado no bairro Taiçoca, no município de Nossa Senhora do Socorro-SE.
Neste ecossistema encontrou-se uma variedade de lixos depositados por moradores locais, como também moradias adentrando no mangue, e mais todo o esgoto do conjunto que é despejado neste ambiente; registros fotográficos comprovam a ação do homem indiscriminada, a tal ponto que se chega a encontrar espécies, como no caso do guaiamu comum a este habitat, andando no interior das casas, construídas ao longo do manguezal. 
Com base em informações da ADEMA/SE e da LEI nº 12.651, de 25 de maio de 2012 da Constituição Federal, será identificado às causas ambientais, esclarecidas a quem cabe às devidas responsabilidades, propostas e ações realizadas na busca de uma sensibilização em torno dos impactos do homem ao meio ambiente. 
As cidades são um ecossistema urbano e que é estritamente necessário o respeito a esta biodiversidade, para garantir a sobrevivência do homem como também de todos os elementos que compõem este ecossistema, devido a um sistema de desenvolvimento baseado no crescente aumento da produção e do consumismo, somado a pressão demográfica acabou por propiciar o avanço da Zona Urbana nestes ambientes, provocando a degradação do manguezal e por consequência de toda a vegetação de restinga, própria deste habitat natural, em contra partida certas espécies da fauna costeira, acabam migrando para a zona urbana, invadindo quintais, áreas cobertas e casas, na verdade essas moradias estão com uma distância bem abaixo permitida por lei. Apesar de todas estas controvérsias a solução pode estar na prática de uma sustentabilidade socioambiental, através da internalização e assim permitir a preservação desta biodiversidade urbana imprescindível ao ecossistema. 
Assim, um Ecossistema Urbano precisa ter como base um Desenvolvimento Sustentável, pois a Biodiversidade Urbana é importante não só para a própria sobrevivência do homem, mas também pelo seu valor intrínseco; se faz necessário um envolvimento mais efetivo das Ciências Naturais com as Sociais para integrar os Conceitos Ecológicos ao Processo de Planejamento Urbano.
O manguezal é um ambiente bastante prejudicado pela expansão urbana, que tem transformado extensas matas de restinga em áreas urbanas horizontais. Várias espécies da fauna e flora da restinga brasileira estão em extinção, por isso atualmente a conservação dos remanescentes existentes é prioritária.
Constata-se que os dados são mensurados pelo Banco de Dados Geoespacial, responsabilidade assumida pela Administração Estadual do Meio Ambiente (ADEMA), mas que os mesmos não são utilizados para uma fiscalização efetiva.
As normas estabelecidas na LEI nº 12.651 de 25/05/12, não estão sendo respeitadas e que o Governo Municipal e a Sociedade Civil, não arcam com suas responsabilidades em garantir a preservação deste Ecossistema importante para todos.
Ao pensar em soluções possíveis para resolver ou frear o crescimento das consequências da pressão urbana, se faz necessário desenvolver políticas públicas partindo do pressuposto a sustentabilidade e a manutenção da biodiversidade, pois são as únicas formas de se manter o uso prolongado e a exploração de recursos naturais com qualidade e de forma a manterem-se intactas as vantagens e benefícios que poderemos tirar desses seres.
Desta forma para que se mantenha uma Sustentabilidade Socioambiental é primordial a preservação da biodiversidade de forma global. Dentre ações neste sentido está em garantir a correta reciclagem e o tratamento dos resíduos e dejetos provenientes das criações animais e dos aglomerados humanos essa é a forma mais eficiente de se garantir que os mananciais e os recursos hídricos serão preservados e garantirão a capacidade do abastecimento das gerações futuras; outras formas eficientes de manter a terra saudável e produtiva por muito mais tempo, é evitar a poluição do solo com efluentes e produtos oriundos de atividades químicas e pesticidas agrícolas. Mas para que estas ações sejam efetivadas de maneira absoluta o homem precisa sensibilizar-se da importância dessas práticas e da garantia do uso racional dos recursos naturais e a manutenção da biodiversidade que a humanidade poderá conseguir produzir os alimentos necessários para se manter e assegurar a continuidade da prosperidade de nossa espécie.
Levando-se em consideração todos os aspectos apresentados, faz-se necessário que a humanidade torne-se reflexiva e efetiva nas formas das condições de sobrevivência e convivência com o meio ambiente, ratificando a urgência da preservação dos recursos naturais essenciais e direcionando ao caminho da Sustentabilidade Socioambiental relacionada à Preservação da Biodiversidade. Este deveria ser o único caminho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário