Páginas

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Projeto "As riquezas do meu lar"

Aprendendo com as “lentes da alma”

O projeto “AS RIQUEZAS DO MEU LAR” foi desenvolvido na aldeia indígena de Panambizinho no Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. Pelas professoras Bianca Marafiga e Rosane Costa. Seu maior objetivo é o de proporcionar momentos únicos, a partir de diferentes ângulos e perspectivas sobre as riquezas presente no cotidiano e nos lares dos alunos ameríndios.
Riquezas estas repletas de elementos sociais, ambientais e culturais. Nas áreas indígenas esta importância reforça-se, considerando-se a forte relação que esses povos, especialmente os Guarani-Kaiowá, possuem com a terra e com a natureza. Há uma importância dualista entre espaço físico e espaço das relações socioculturais e cosmológicas denominada por esse povo como tekohá. (PEREIRA, 2004).
O projeto proporcionou aos estudantes momentos de registros de seus lares, onde eles próprios definiram seus conceitos de riquezas contidas em seus espaços diários. Um desafio inspirador. Com uma máquina fotográfica ou celulares com câmaras em suas mãos, com a total liberdade de registrar o que viram e sentiram, suas fotos são surpreendentes.
As imagens participantes no concurso foram utilizadas pelos professores no desenvolvimento de atividades dentro do planejamento nas mais diversas áreas, contribuindo para uma dinamização do ensino e aprendizagem dos conteúdos e da vida. Possibilitou aos alunos produzirem mais que uma foto, mas obras de arte inseridas diante de suas realidades.
Para a professora Bianca Marafiga, uma das coordenadoras do Projeto, a introdução da fotografia como material didático e metodológico foi fundamental para o aprendizado nos anos iniciais do Ensino Fundamental. “A utilização deste recurso proporcionou uma atividade com maior senso crítico sobre a realidade que os envolvem. O uso da linguagem fotográfica nas escolas é uma grande ferramenta de auxílio na aprendizagem dos alunos de diferentes anos e programas, contribuindo para o desenvolvimento da cultura visual” avaliou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário