Páginas

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

POE

Por Valdira Vieira Rocha
Mandaguari, PR
@: valdira.rocha@hotmail.com
Imagem: "Quimera", em http://1.bp.blogspot.com

Quem dera na primeira quimera,
Pudesse te encontrar
Num lugar utópico,
Sonho distópico.

Assombram o ar
Nada mais é solido
Tudo é tão ilusório
O real é simplório.

E se desmancha no ar,
Nada faz sentido
O mocinho é bandido
NA SAMSARA a girar.

Neste ciclo infinito
Não importa o que foi dito
Pois agora tudo é MAYA
Que desmancha conflitos
Somente o amor é infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário