Páginas

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Nosso Manoel...

  Revista Criticartes - Ano II, nº. 5 - 2016  

Manipulação de imagens pela Revista Criticartes
Bianca Marafiga
Dourados, MS

Renovando o homem usando borboletas,
Arquitetando silêncios...
Em uma casa ou em uma rua sem nome.

Ele, um homem simples.
Escuta a voz dos passarinhos que recitam,
E canta a canção das cigarras que arrebentam o verão.

O glorioso...
E não um Manoel qualquer...
Aquele criado no mato,
Que aprendeu a gostar das coisinhas do chão,
Antes mesmo das coisas celestiais.

Aprendeu mais com as abelhas do que com aeroplanos.
Manoel não queria significar,
Apenas queria assim como eu,
Inventar caminhos com novas palavras.

Hoje não mais apenas Manoel de Barros, mas Manoel dos Céus,
“Fecho os olhos, descanso. Os ventos levam-me longe... Longe”

E assim, por aqui ficam os poetas que Manoel inspirou.
Fica também a certeza de que encontrou por lá,
Coisas mansas, e a liberdade para o silêncio das formas e das cores.



  Revista Criticartes - Ano II, nº. 5 - 2016  

Nenhum comentário:

Postar um comentário