Páginas

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Ca(lenda)rio...

Imagem: https://blogcontent.yola.net

Entre pedras escorrem suas lágrimas,
Foi apenas iludida com um simples olhar,
Jogou-se ao leito do amar,
Hoje busca por datas,
Quantas e tantas,
No ca(lenda)rio,
Onde gotas escrevem no seu dia(rio),
À espera daquela ilusão que não cessa,
Esqueceu-se de que, quem corre tropeça,
Se ao menos soubesse de(cifrar),
Hoje não estaria a murmurar(...)
(M&M)

4 comentários:

  1. Belíssimo poema, amigo Merlin Magiko. Gostei. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. a verve cobre de ilusão as cores das nuvens... no céu aberto há o abismo que é o intervalo de espaço e tempo da poesia chegar a outra margem... seguindo estando... Ray Nascimento

    ResponderExcluir
  3. Poeta Merlin sempre intenso em seus versos.Quem dera todos percebessem a extensão de sua escrita que reverencio e aplaudo.
    Calendário,marca o tempo que não conto em minutos e horas.Lindo poema amigo Merlin Magiko!!

    ResponderExcluir
  4. Merlin, cada poema teu com elegantes jogos de palavras desafia, ainda mais, a multi- interpretação poética. Parabéns!

    ResponderExcluir